Comentarios del lector/a

dislexia

por marcelo costa (2018-02-28)


DEFINIÇÃO DE DISLEXIA

O termo dislexia vem do grego e representa uma dificuldade na fala ou discurso. Na prática, se reflete como um problema que prejudica e dificulta o processo de aprendizagem, já que se caracteriza por influenciar a capacidade de leitura, escrita, cálculos e a memória a curto prazo.

 

 

 

Dislexia

Geralmente, o termo é utilizado para referir um transtorno que impossibilita desenvolver a habilidade de ler com normalidade, embora também se usa para denotar problemas para escrever (caixa que, de identificar-se de modo apropriado, de acordo com critérios médicos, é conhecido como disgrafia).

 

 

 

Entre os tipos de dislexia conhecidos, destacam-se a o dia e a profunda ou mista. A primeira refere-se aos casos em que as pessoas fazem uma "leitura global" das palavras, tentando deduzir que o termo trata-se, em vez de completar o reconhecimento de cada letra.

Neste caso, a leitura de palavras desconhecidas é muito difícil e também é comum a confusão de palavras que pertencem a uma mesma família ("comprar" e "comprou", "empregado" e "empregar").

O segundo tipo de dislexia que mencionamos é mais grave. Não só dificulta a leitura de palavras, mas a compreensão de seu significado (em especial de termos abstratos, verbos e conectores), assim como a distinção de palavras que costumam ser escritas juntas (como "bons" e "dias").

Saiba mais o que e dislexia

No que se refere à escrita, costumam apresentar os seguintes sintomas:

* alteração da ordem das letras, total ou parcial, de palavras, tanto conhecidas como desconhecidas para a pessoa;

* mudança de orientação dos traços de certos caracteres;

* confusão de letras semelhantes, como o 'p' e 'b', ou 'd' e 'b'.

 

Por outro lado, a leitura costuma caracterizar-se por:

* dificuldade para distinguir determinadas letras ou para lê-las em ordem;

* ignorar erros de ortografia;

* dificuldade para a leitura de frases ou palavras simples e, em especial, curtas.

 

Outros sintomas incluem não poder copiar palavras com facilidade, usar uma palavra por outra, mesmo quando não tenham nenhuma relação entre si, e ter dificuldade para distinguir a direita da esquerda.

 

Este transtorno costuma estar associado a problemas de coordenação motora e atenção, mas não implica, em absoluto, uma inteligência abaixo da média. Mais ainda, muitas pessoas que sofrem de dislexia são muito capazes e têm vidas bem-sucedidas.

 

 

 

Dislexia tem cura Para a psicologia e a psiquiatria, a dislexia consiste no registo de uma diferença entre o potencial de aprendizagem e o nível que atinge uma pessoa quando tem que expor seus conhecimentos.

Falamos de um indivíduo que não lhe tenham sido detectadas dificuldades sensoriais, físicas, motoras ou deficiências educacionais que possam influenciar ou condicionar o processo. De fato, são estas questões meramente físicas as que se devem descartar quanto se identifiquem dificuldades cognitivas.

Em seguida, você pode passar para o terreno psicológico onde, por exemplo, uma piada (vídeo educativo procurará as causas, tanto físicas como emocionais, acima transtornos.

 

Diversos estudos neurológicos foram avisados de certas características no giro angular (a estrutura que se localiza no lobo parietal do hemisfério cerebral esquerdo) dos pacientes disléxicos.

Também existem teorias médicas que consideram que a dislexia se origina no hemisfério cerebral direito, que para muitos é o encarregado de processar a informação visual e que, em certos casos, funciona a uma velocidade menor do que o hemisfério esquerdo (responsável os processos vinculados à linguagem).

Isso foi há frigobar com a teoria de que a origem do problema está intimamente relacionado com a habilidade, neste caso, menor, para organizar símbolos gráficos.

 

Os especialistas ressaltam que há fatores de tipo hereditário que aumentam as chances de que uma pessoa pode sofrer de dislexia.

 De qualquer forma, ainda não se sabe com precisão como influenciam outras questões, como a genética, o desenvolvimento da gravidez ou de eventuais complicações no momento do parto, as lesões no córtex cerebral, a instabilidade emocional e as dificuldades de adaptação na escola.

 

Cabe destacar que os professores e os pais de crianças disléxicos têm em suas mãos uma grande responsabilidade, já que depende de eles não somar pressões e frustrações para essas pessoas que lutam para resolver questões que para outros são simples e cotidianas.

 No melhor dos casos, existem escolas que oferecem a possibilidade de prestar exames orais em vez de escritos, bem como ferramentas informáticas que auxiliam no aprendizado e na escrita.

 O sucesso escolar depende, então, de um tratamento considerado e será ainda mais possível quando você tenta chegar à criança através dos ca